quarta-feira, 1 de julho de 2015

Quatro características de um líder

Resultado de imagem para liderançaComo qualquer outro profissional que coordena equipes, um bom gestor escolar precisa ser um líder. A boa notícia é que a liderança não é nata, ela se aprende! conheça as principais características e saiba como desenvolvê-las!


Para você, o que é ser um líder? Possuir carisma? Ter o dom da oratória? Ser querido por chefes e subordinados? Muitas vezes, as respostas mais comuns vão nessa direção - e acabam por construir um retrato inadequado da liderança. Fazem supor que ela seria totalmente subjetiva, um dom, uma inspiração. Sim, existem líderes natos ou intuitivos. Mas eles são a minoria (e nem sempre, são os mais eficientes).

A boa notícia é que a liderança, essa qualidade que permite a um profissional criar e manter um grupo coeso, inspirado e trabalhando motivado, pode ser desenvolvida ao longo da carreira. Todo profissional que tem um coletivo sob sua responsabilidade deve procurar aprimorá-la. "É caso do gestor escolar, que tem a tarefa de articular a equipe visando a aprendizagem dos alunos", afirma Denis Mizne, diretor executivo da Fundação Lemann. Com a ajuda desse especialista, selecionamos  iniciativas que podem tornar o gestor escolar em um bom líder. Conheça-as abaixo e saiba como desenvolvê-las.


1- Envolva a equipe no planejamento, dê autonomia nas ações

Todo líder deve construir coletivamente seu planejamento e dar uma certa autonomia para que cada um desempenhe suas tarefas. Gerir um time dessa maneira é estar aberto para conflitos e opiniões contraditórias, de modo que seu papel é encaminhar a discussão e garantir espaço para que todos se manifestem. Dá trabalho, mas ajuda aa criar um modelo de corresponsabilidade, em que todos se envolvem com o que o grupo decidiu, sem transferir a outros a culpa ou os méritos pelos resultados. 


2- Estabeleça metas claras 

Qual o resultado que pretendo obter com meu trabalho e da equipe? Estabelecer metas é o primeiro passo para conseguir melhorar a realidade de sua escola. Nesse processo, duas coisas são fundamentais. Primeiro, conhecer os dados da escola para decidir o que voce quer transformar (Abandono? Repetência? etc.). Segundo, envolver a equipe para discutir as expectativas e construir as estratégias - sua função é enfatizar o tempo todo de que elas devem ser viáveis. Vale lembrar que o planejamento não é imutável. Vale (e muito!) organizar reuniões periódicas de avaliação para saber quais são as impressões da cada um sobre as ações propostas e o que deve ser mudado. 



3- Preocupe-se com o que interessa: o aprendizado dos alunos

Cuidar apenas de assuntos burocráticos ou relacionados à estrutura da escola e não querer saber o que acontece dentro das salas de aula é um dos maiores erros que um gestor pode cometer. Quando os professores e os outros colaboradores percebem que o gestor não acompanha o dia a dia da escola, eles ficam muito frustrados. É somente ao andar pela escola, ao conversar com alunos e funcionários e ao fazer reuniões periódicas de acompanhamento que o diretor consegue perceber realmente quais são os problemas da escola. Esse conhecimento vai auxiliar no passo posterior: como encaminhar a resolução das dificuldades (O que é prioridade? Quem deve estar envolvido? É necessário chamar os pais? Em que momento?).



4- Saiba como fazer a gestão da aprendizagem

A equipe precisa saber que existe alguém - você - realmente interessado em ajudar a fazer um trabalho de formação focado nas dificuldades dos professores e dos alunos. Mais que isso: precisa confiar que essa pessoa (adivinha quem?) pode estar à frente desse processo. Nenhum diretor de escola precisa ser um especialista em todas as disciplinas. Ele precisa, sim, saber o que é um bom professor, como ele trabalha e quais são os elementos fundamentais para a realização da formação continuada desses profissionais. Um bom líder deve ter conhecimento para identificar quem são as pessoas que mais podem ajuda-lo no trabalho de formação. Ter acesso a uma rede de contatos de especialistas em cada disciplina, dentro e fora da Secretaria de Educação, é fundamental. Muitas vezes, a solução está dentro da própria escola: há alguém na equipe capaz de exercer parte da formação? Agir assim é uma boa forma de engajar professores experientes a querer aprender outras coisas e a compartilhar seu conhecimento com seus pares.



Este conteúdo foi útil para você? Compartilhe com seus amigos!

Resultado de imagem para compartilhe

Fonte: Revista Nova Escola

5 maneiras de evitar a repetência - Monitoria Aluno x Aluno

Resultado de imagem para monitoria aluno alunoConheça as práticas para acompanhar os alunos durante todo o ano letivo e não deixar ninguém para trás.  Confira como realizar o contraturno!

5. Monitoria aluno-aluno

O que é
Os próprios alunos atuam como monitores dos colegas com dificuldade de aprendizagem, prática que, além de eficiente, estimula a cooperação entre os estudantes.


Como organizar
Os professores e os coordenadores pedagógicos organizam grupos de trabalho em sala de aula de forma que os alunos que já dominam certos os conteúdos trabalhem juntamente com os que ainda não aprenderam. Os monitores devem ser orientados a ajudar os colegas sem fazer as tarefas para eles. É possível também organizar a monitoria entre estudantes de uma série mais avançada para colegas de séries anteriores.


Onde é feita
Trabalho de equipe faz a diferença
No CE 10 de Maio, em Itaperuna, a 271 quilômetros do Rio de Janeiro, a professora de Matemática dos Ensinos Fundamental e Médio Celenes Neves de Amorim sempre estimulou os alunos de bom desempenho a ajudar os colegas. Hoje esse procedimento é adotado em toda a escola e ela forma pequenos grupos de trabalho em sala de aula, com no máximo quatro alunos, sendo que um deles deve auxiliar os colegas nas atividades propostas. Já para as aulas de Química e Física do Ensino Médio, os monitores voluntários do 2º e do 3º ano retornam à tarde para ajudar os colegas sob a supervisão da coordenação pedagógica. "É um trabalho que dá certo e não envolve nenhum recurso extra, somente o estímulo ao trabalho em equipe", declara a coordenadora Olga Lívia Pinto de Oliveira.


Este conteúdo foi útil para você? Compartilhe com seus amigos!

Resultado de imagem para compartilhe
Fonte: Revista Nova Escola

5 maneiras de evitar a repetência - Trabalho Pessoal

Resultado de imagem para trabalho pessoalConheça as práticas para acompanhar os alunos durante todo o ano letivo e não deixar ninguém para trás.  Confira como realizar o contraturno!

4. Trabalho pessoal
O que é
Atividades complementares sobre conteúdos específicos que o professor elabora para alguns alunos para reforçar o que já foi visto em sala ou antecipar aulas futuras - uma maneira de o aluno que precisa de apoio se preparar para atividades que serão propostas em classe.


Como organizar
O olhar atento do professor às lições de casa e às atividades em sala, além das avaliações, permite saber quem precisa de ajuda. Juntamente com o coordenador pedagógico, o docente prepara atividades e seleciona textos para serem lidos em casa, sempre com o devido acompanhamento e esclarecimento de dúvidas em sala de aula.


Onde é feito
Antecipação de conteúdo
Na Escola da Vila, em São Paulo, os trabalhos pessoais são dados desde o primeiro trimestre, assim que os professores percebem a necessidade. Ivone Domingues, coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental II, conta que em geral o docente solicita pesquisas e sugere textos aos alunos: "Muitas vezes, quem não entende a matéria participa pouco, o que pode dificultar o aprendizado. Com essa prática, o aluno adquire conhecimentos e os apresenta em primeira mão para os colegas, reforçando a autoconfiança para seguir aprendendo. É uma maneira diferente de trabalhar os conteúdos".


Este conteúdo foi útil para você? Compartilhe com seus amigos!

Resultado de imagem para compartilhe
Fonte: Revista Nova Escola
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...